• Infinitamente azul

    main

    Chefchaouen, ou Xexuão, no Marrocos, é uma cidade localizada entre as montanhas do Rif que oferece um cenário idílico e encantador: quase todas as contruções do centro histórico foram pintadas de azul pela comunidade judaica.

    2012_0817모로코20632
    De acordo com o site UOL, a cidade virou um tradicional refúgio de judeus europeus, que começaram a chegar a partir do final do século 15, por causa da Inquisição Espanhola. Atualmente Chefchaouen é dominada pela cultura berbere-muçulmana, e mantém sua paisagem tradicional.

    Nader-Tanger-Chefchaouen
    O azul onipresente é uma atração para viajantes do mundo inteiro e, segundo a lenda, também é capaz de espantar mosquitos. O local fica a 110 km de Tânger (porta de entrada para quem vem da Espanha) e a 350 km de Casablanca. Ficamos loucos para visitar!

    7458011136_046b4144fc_b

    Fotos: Reprodução

  • Abertura da exposição Transmigrações II

    unnamed (2)
    Transmigrações 2 é a exposição do Museu de Arte Contemporânea do RS (MACRS) que abriu no dia 15 de março, na Galeria Xico Stockinger, localizada no 6º andar da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ).

    A coletiva é uma continuação da mostra Transmigrações 1, que tinha como ponto de partida a obra de Nuno Ramos pertencente ao acervo do MACRS. Segundo o site da CCMQ, o trabalho apresenta a junção e sobreposição de materiais díspares que estruturam o plano pictórico, em que os elementos criam tensões e determinam um campo de ação que engendra duas possibilidades: ao mesmo tempo em que se amalgamam para formar o todo as estruturas, intentam sair da superfície para atingir a tridimensionalidade. Desta forma, foram escolhidos outros trabalhos que tivessem intenções semelhantes, ou seja, pinturas em campo expandido.

    Obra de Ana Mahler
    Obra de Ana Mahler

    A mostra fica no local até 31 de maio, com visitação de terças a sextas, das 10h às 19h e sábados, domingos e feriados, das 12h às 19h. A entrada é franca.
    Fotos: Reprodução

  • Abertura da exposição Paisagem Cultural

    12801591_970766829678803_6899081713651518871_n

    No mês em que a Fundação Cultural Badesc comemora 10 anos, a instituição traz para Florianópolis a exposição coletiva Paisagem Plural, um recorte da melhor produção contemporânea do Rio Grande do Sul, com a curadoria de Ana Zavadil, atual curadora da Bienal do Mercosul.
    A exposição abre na quinta-feira, 10 de março, às 19h no Espaço Fernando Beck e reúne trabalhos de 20 artistas, que mostram na contemporaneidade a reinvenção da paisagem a partir da natureza, da cultura e da estética.

    Em Paisagem Plural, a paisagem é usada como foco conceitual das obras, em que a representação poética de cada artista vai desde a natureza em si mesma até a sua dimensão simbólica. A paisagem assume outros significados por meio de subjetividades, metáforas e narrativas, em que a intenção, as tramas e os encontros dão origem aos trabalhos que serão levados à visibilidade pública.
    Entre os artistas, Fernando Lindote, Walmor Corrêa, Beatriz Harger, Ana Mähler, Alexandra Eckert, Angela Zaffari, Beatriz Dagnese, Bianca Santini, Fábio André Rheinheimer, Flávio Morsch, Gustavo Rigon, Helena D’Ávila, Marlene Kozicz, Ricardo Giuliani, RosaliPlentz, Silvia Rodrigues, Umbelina Barreto, Vera Reichert, VerluMacke, e Zetti Neuhau.

    A mostra fica aberta para visitação até o dia 20 de abril.

    Serviço
    Abertura exposição coletiva Paisagem Plural
    10/03, às 19hs
    Fundação Cultural Badesc: Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis
    Entrada gratuita